O que acontece na comunidade judaica de Santa Catarina passa por aqui. Ações, projetos, celebrações, cultura, espiritualidade e muito mais!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Boletim Informativo da Confederação Israelita do Brasil | 06/04/2011 |

 


Sensibilidade judaica à justiça e à caridade norteará ação de Luiz Fux

“No judaísmo, justiça, além de ser um valor, significa também caridade. Pela Torá, o povo judeu tem o dom da caridade, o dom da doação. (...) Na Torá, estes valores também significam verdade, integridade e independência. Encontrei uma tríplice identidade nestes pilares”, declarou Luiz Fux, primeiro judeu a ocupar o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ele foi homenageado pela comunidade judaica neste domingo, dia 3 de abril, na Sinagoga Beit Lubavitch, no Rio. O evento teve a presença de Claudio Lottenberg, presidente da Conib, Osias Wurman, cônsul honorário de Israel no Rio e Sarita Schaffel, presidente da Federação Israelita do Rio de Janeiro, além de empresários, autoridades e juristas ligados à comunidade judaica.

Ao jornal Bom Dia Rio, da Rede Globo, Fux afirmou: "É uma honra e uma grande responsabilidade [ocupar este cargo], porque você representa toda uma comunidade e é preciso exteriorizar, por meio das nossas manifestações, aquilo que os judeus, sensíveis com os valores da justiça e da caridade, esperam de um ministro da Corte Suprema".

“Pude encontrar na vida do ministro Luiz Fux experiências que me encheram de orgulho como brasileiro, como defensor do ideário democrático, como crente dos valores éticos e morais e, sobretudo, do conhecimento, e também na condição de judeu, o que  nos aproximou num primeiro momento”, disse Claudio Lottenberg.

“O ministro é um técnico excepcional. Sua vida foi um caminho pavimentado para ocupar a posição que hoje lhe pertence e é uma conquista inspiradora para jovens que necessitam de boas balizas, para que cheguemos a uma sociedade melhor”, acrescentou.

"Para nós, judeus brasileiros, é muita alegria ver um dos nossos, filho de imigrantes, que escolheu o Brasil como pátria, ascender à casa maior das leis do Brasil", disse Osias Wurman.

Doutor em Direito Processual Civil pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professor titular na mesma universidade, Fux tem 21 livros publicados e participou da comissão de elaboração do novo Código de Processo Civil. Ele é filho de imigrantes judeus da Romênia, que fugiram da perseguição nazista.

O Jornal Bom Dia Rio destacou a homenagem.


Ministro Luiz Fux discursa no Rio. Foto: Leonardo Goldfarb/Rua Judaica.

À frente, a partir da direita: Luiz Fux; Claudio Lottenberg; Jack Terpins, presidente do Congresso Judaico Latino-Americano, e Osias Wurman. Foto: Leonardo Goldfarb/Rua Judaica.

140 mil pessoas assistem ao programa “Comunidade na TV”, no Rio

Mais de 141 mil pessoas assistiram no último domingo, na Band, ao programa “Comunidade na TV”, produzido pela Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro. O número representou um crescimento de mais de 300% em relação à estréia, no dia 27 de março.

Na próxima edição, dia 10, será exibida a homenagem ao ministro Luiz Fux, realizada no Rio no último dia 3, e uma entrevista exclusiva com ele. O programa vai ao ar, às 10 horas, no canal 21 da NET, ou 7, na TV aberta.

Veja no You Tube o programa do dia 3.

Abertura do programa “Comunidade na TV”. Reprodução.

Integrada na vida gaúcha, Firs completa 50 anos de atividade

Em 1904, os primeiros judeus, imigrantes vindos da Europa, instalaram-se no interior do Rio Grande do Sul. A história da Federação Israelita do Rio Grande do Sul (Firs) começou a ser escrita no início da década de 60, quando os imigrantes ainda sofriam com guerras e perseguições.

Nestes 50 anos, a comunidade judaica evoluiu junto com a sociedade gaúcha. A visão dos anos passados, de se voltar para dentro para fortalecer seus vínculos, deu lugar a uma maior inserção na comunidade maior.

Hoje, a integração é um fato consumado, e as gerações de judeus que sucederam os primeiros imigrantes construíram uma identidade judaica, gaúcha e brasileira. Sem deixar de valorizar suas raízes judaicas, a FIRS, por meio de suas entidades, passou a promover uma maior participação na sociedade gaúcha, por meio da defesa dos Direitos Humanos, da cultura, do conhecimento, da medicina e de atividades sociais.


Colômbia garante a CJM que não vai reconhecer Estado palestino unilateral

Em encontro realizado no final de março com líderes do Congresso Judaico Mundial (CJM) e do Congresso Judaico Latino-Americano (CJL), o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos Calderón, declarou que é uma questão de principios para a Colômbia não seguir outros governos da região que recentemente reconheceram um Estado Palestino unilateral, ainda não estabelecido. Ele enfatizou que o único caminho para a paz no Oriente é por meio de negociações diretas entre israelenses e palestinos.

Ronald Lauder, presidente do CJM, agradeceu: “Valorizamos sua amizade e coragem com relação a Israel e ao povo judeu. Também apreciamos que tenha resistido à pressão de líderes latino-americanos para reconhecer prematuramente um Estado palestino.”

O presidente do CJL, Jack Terpins, elogiou o empenho de Bogotá na luta contra a crescente influência do Irã na região.

Durante a reunião, o presidente Santos transmitiu sua admiração pelo povo judeu e pelas conquistas alcançadas por Israel  na área da tecnologia, sobretudo no campo da biotecnologia e da informação tecnológica.

Lauder convidou o líder colombiano a ser o principal orador na reunião da Junta Diretiva do CJM, que se realizará em Jerusalém, em junho próximo.

Presidente Juan Manuel Santos Calderón (centro) junto à liderança judaica. Foto: CJL

Judeus participam de ato em solidariedade ao povo japonês, em Florianópolis

A Associação Israelita Catarinense (AIC), representada por sua presidenta, Julia Guivant, e pela diretora administrativa, Iéte A. Salomé, participou de culto ecumênico em solidariedade ao povo japonês, realizado em 27 de março na cidade de Florianópolis.

A cerimônia, que lotou a catedral da capital catarinense, congregou diversas lideranças religiosas. Julia Guivant leu a Oração para o Povo do Japão, do rabino Yehoram Mazor. A seguir, Iéte leu uma frase do Kadish, oração pelos mortos.

Veja vídeo do evento (as falas da AIC estão a partir dos 32:50 min.)


Aracy Guimarães Rosa será tema de palestra na PUC-Rio
O Centro Loyola de Fé e Cultura da PUC–Rio está promovendo um ciclo de palestras sobre a perseguição étnica e religiosa na Segunda Guerra. Na próxima quarta, dia 13, o professor René Decol falará sobre o tema “Sobrevivendo - Memórias do Holocausto: Souza Dantas e Aracy Guimarães Rosa”.
René Decol, doutor em Ciências Sociais pela Unicamp e mestre em Sociologia pela Fordham University de Nova York, é jornalista, escritor e professor.
O evento ocorrerá das 19h às 21h na Residência João XXIII, à Rua Bambina, 115. Tel: (21) 2539-1622. 
No dia 6 de abril, o convidado foi Aleksander Laks, sobrevivente do Holocausto.
 

Livro aborda história de “navio herói” da Segunda Guerra

Durante a Segunda Guerra Mundial, o navio de passageiros de bandeira portuguesa Serpa Pinto fazia regularmente o trajeto Lisboa - Rio de Janeiro - Nova York, trazendo refugiados do nazismo para as Américas. Ele entrou para a história como o “navio herói” ou o “navio da amizade”. A família do músico Jorge Mautner foi uma das transportadas ao Brasil.

A história destas travessias foi reconstituída pela jornalista alemã Rosine De Dijn, no livro O Navio do Destino (Ed. Record).

A obra será lançada em São Paulo, em 14 de abril, com a presença da autora e debate que terá como tema: “O Navio do Destino entre Brasil e Alemanha: cultura política, deslocamentos e liberdade”, com participação do jornalista Alberto Dines e da historiadora Marlen Eckl. O evento ocorrerá às 18 horas, na Casa do Saber e Livraria da Vila, Rua Mário Ferraz, 414.


Fundação publica milhares de obras sobre história judaica

A “Memorial Foundation for Jewish Culture” [Fundação Memorial para a Cultura Judaica] foi fundada em 1965 por Nahum Goldmann com o objetivo de reconstruir a vida judaica após o Holocausto. A instituição realiza este trabalho por meio de apoio a acadêmicos, escritores, artistas, rabinos, educadores, e outros profissionais importantes para a vida comunitária judaica.

Recentemente, a fundação passou a fortalecer a identidade judaica e aumentar as conexões das comunidades judaicas em todo o mundo, além de fomentar o ensino da língua hebraica.

Cerca de 4 mil obras foram publicadas no ano acadêmico 2009-2010 com o incentivo da fundação. As obras abordam diferentes perspectivas da história judaica: judeus na Rússia, na Polônia, a Itálica Judaica, a Espanha Judaica e o Legado Sefaradita.

Leia mais.
 


Conselho de Fraternidade Cristão-Judaica convida para Pessach, em SP

O Conselho de Fraternidade Cristão-Judaica, presidido por Marília Freidenson, realizará um seder [jantar cerimonial] fraterno de Pessach no dia 16 de abril, às 19 horas, na sede da entidade judaica de Direitos Humanos B’nai B’rith, em São Paulo. Informações: irene.margarete@terra.com.br.

 

Indicação de textos e video

Mudanças no mundo árabe. Veja entrevista dada pelo historiador Bernard Lewis a Dan Diker, secretário-geral do Congresso Judaico Mundial.

Britain: Israel's right to exist not up for discussion or compromise”, no jornal Haaretz.

O bom judeu”, por Marcos Guterman, em O Estado de S. Paulo.


Israel and the UN”, no Chicago Tribune.
A primeira beduína a obter o título de PhD. Veja no site do ministério das Relações Exteriores de Israel.
Ensaio fotográfico mostra Bom Retiro [bairro de São Paulo] dos anos 80, no blog de René Decol.
Voltar ao topo.


A Conib não necessariamente endossa as opiniões externadas nos textos e videos indicados.
 
CONIB - Confederação Israelita do Brasil - Visite o nosso site: www.conib.org.br - Fale Conosco: info@conib.org.br
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Gostamos muito de sua visita. Obrigado pela sua mensagem!