O que acontece na comunidade judaica de Santa Catarina passa por aqui. Ações, projetos, celebrações, cultura, espiritualidade e muito mais!

sexta-feira, 11 de março de 2011

Newsletter Conib - 11-03-11

Conib destaca
Sexta-feira, 11 de Março de 2011
Por Celia Bensadon
Textos e manchetes da mídia nacional e estrangeira
Para informar nossos ativistas comunitários

1. Patriota cobra 'engajamento' dos EUA em reforma de Conselho da ONU



http://www1.folha.uol.com.br/bbc/886740-patriota-cobra-engajamento-dos-eua-em-reforma-de-conselho-da-onu.shtml

Às vésperas da primeira visita do presidente Barack Obama ao Brasil, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse esperar que "os Estados Unidos permaneçam engajados em uma reforma do Conselho de Segurança da ONU que preveja a inclusão de novos membros permanentes do mundo em desenvolvimento, como o Brasil, a Índia e outros". "Já não é razoável nem justificável convivermos com um Conselho de Segurança que parece refletir mais um mundo do século 20 que um do século 21", disse Patriota em entrevista por telefone, durante viagem à China. Na entrevista, o chanceler afirmou ainda que o governo brasileiro se solidariza com os protestos no mundo árabe e que qualquer decisão sobre intervenções militares na Líbia ou em outros países da região devem ser tomadas no âmbito do Conselho de Segurança (Por João Fellet, BBC Brasil). Leia mais em:
Ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, cobra reforma em Conselho da ONU
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/03/10/ministro-das-relacoes-exteriores-antonio-patriota-cobra-reforma-em-conselho-da-onu-923991307.asp

2. “Emergentes, uni-vos!”

http://gilvanmelo.blogspot.com/2011/03/emergentes-uni-vos-eliane-cantanhede.html

Devagar e sem pirotecnias, o Brasil atuou decisivamente para uma posição consensual dos países emergentes diante da crise - ou guerra civil, como admite o Itamaraty - em que mergulhou a Líbia. Enquanto EUA e Reino Unido, por exemplo, ameaçavam com "ações militares", os países do Bric e do Ibas bateram pé para evitar um novo Iraque: qualquer reação armada e até uma zona de proibição de voos na Líbia têm de passar pelo Conselho de Segurança da ONU. O mundo é outro. Olhar o mundo, hoje, significa olhar e ouvir também os emergentes. A China, sobretudo, mas também Brasil, Índia, Rússia e África do Sul têm peso crescente não só na economia, mas também na política. As decisões, antes exclusivas de Washington, passeiam pela Europa e por todos esses países antes de se transformarem em ações. Para a diplomacia brasileira, é hora de administrar ganhos, recuperar perdas e agir em bloco, não de buscar protagonismo. Discreto e demasiadamente formal em suas entrevistas, o chanceler Antonio Patriota aparece pouco, mas não está calado nem parado (Por Eliane Catanhêde, Folha de S.Paulo).

3. Obama deverá deixar principal discurso de viagem para o Chile

Em vez do Rio de Janeiro, o presidente dos EUA, Barack Obama, deve fazer em Santiago (Chile) o grande discurso sobre política americana para a América Latina durante seu giro pela região. A viagem começa no próximo sábado (19) em Brasília. Obama vai ao Rio no domingo e depois parte para Chile e El Salvador, finalizando o pequeno périplo no dia 23. "Estamos esperando só a palavra final, mas essa é a expectativa", disse o vice-embaixador chileno em Washington, Roberto Matus. O presidente americano, Barack Obama, deve reconhecer a nova realidade da América Latina durante a viagem, um giro que deixará para trás a "visão assistencialista", afirmaram o chanceler de El Salvador e os embaixadores de Brasil e Chile (Por Andrea Murta, Folha de S.Paulo). Leia mais em:
Obama deve reconhecer nova realidade em giro pela América Latina
http://www1.folha.uol.com.br/mundo/886897-obama-deve-reconhecer-nova-realidade-em-giro-pela-america-latina.shtml
Brasil, Estados Unidos e a agenda comercial necessária
http://www.valoronline.com.br/impresso/opiniao/98/395588/brasil-estados-unidos-e-a-agenda-comercial-necessaria

4. Líbia liberta jornalista do Estado

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110311/not_imp690411,0.php

Preso na Líbia há oito dias, o repórter do Estado Andrei Netto deixou ontem a prisão militar na região de Trípoli e deve embarcar ainda hoje para a Europa. Ele passaria a noite na casa do embaixador do Brasil na Líbia, George Ney de Souza Fernandes, que o recebeu à tarde das mãos de soldados fiéis ao ditador Muammar Gaddafi em uma casa no centro da capital para aonde Netto, vendado, havia sido levado. "Estou bem, muito bem", disse o repórter. Netto entrou na Líbia no dia 25. Ele passou a viajar dentro do território líbio com o repórter Ghaith Abdul-Ahad, iraquiano que trabalha para o jornal britânico The Guardian. Até agora, Abdul-Ahad não foi solto pelo regime de Gaddafi. O Estado havia perdido o contato direto com o repórter no dia 2. Leia mais em:
Apoio dentro e fora do Brasil leva à libertação
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110311/not_imp690413,0.php

5. Andrei Netto: 'Senti o vento soprando no meu rosto pela 1ª vez em 8 dias'

http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,andrei-netto-senti-o-vento-soprando-no-meu-rosto-pela-1-vez-em-8-dias,690189,0.htm

O enviado especial do Estado ao oeste da Líbia, Andrei Netto, disse que ficou incomunicável em uma prisão nos arredores de Trípoli nos oito dias em que esteve preso. De acordo com o repórter, ele e o iraquiano Ghaith Abdul-Ahad, enviado do jornal britânico The Guardian, foram presos na cidade de Sabrata, enquanto tentavam chegar à capital líbia. O brasileiro foi obrigado a deixar o país para ser libertado (O Estado de S.Paulo). Leia mais em:
Senado convida Andrei Netto para falar sobre detenção na Líbia
http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,senado-convida-netto-para-falar-sobre-sequestro,690248,0.htm
Repórter do Guardian continua preso
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110311/not_imp690415,0.php
Regime líbio organiza Tour para jornalistas
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110311/not_imp690398,0.php

6. ONU condena prisão e violência contra jornalistas estrangeiros na Líbia

http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,onu-condena-prisao-e-violencia-contra-jornalistas-estrangeiros-na-libia,690093,0.htm

A alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para Direitos Humanos, Navi Pillay, criticou a prisão e possível tortura de jornalistas que cobrem o conflito na Líbia. "Jornalistas correm grandes riscos para garantir um retrato fiel do que acontece em zonas de conflito", disse Pillay. "Eles têm um papel importantíssimo em revelar violações de direitos humanos". De acordo com a comissária, a crueldade praticada contra os jornalistas é inaceitável e viola as leis internacionais. "Se uma equipe de televisão (a BBC também teve jornalistas presos na Líbia) pode ser submetida a este tipo de tratamento, me preocupa o tipo de tratamento destinado a opositores do regime", acrescentou (estadao.com).

7. Rebeldes líbios querem empresas brasileiras de volta

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/03/10/rebeldes-libios-querem-empresas-brasileiras-de-volta-923991502.asp

O ditador Muammar Gaddafi resiste e contra-ataca em várias frentes, mas os rebeldes que conquistaram parte do país já fazem planos para uma nova Líbia. Um dos planos, se confirmado, é uma boa novidade para as empresas brasileiras que operam na região, como as construtoras Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez e Odebrecht: as forças opositoras prometem não apenas garantir contratos, como compensar as perdas durante a revolução. “Não é somente para garantir os empregos (no pós-guerra). É por princípios éticos e morais. Todos concordam com isso”, disse o empresário Issam Gueriani” (Por Deborah Berlinck, O Globo).

8. EUA cortam relações com Líbia; Hillary marca reunião com rebeldes

http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/rebeldes-libios-sao-forcados-a-recuar-de-cidade-petroleira

Os Estados Unidos romperam relações diplomáticas com o governo de Muammar Gaddafi após suspender laços com a embaixada da Líbia em Washington - isso significa que o país não considera mais Gaddafi como governante da Líbia e os representantes do ditador em Washington devem deixar o país e suas funções. A informação foi anunciada ontem pela secretária de Estado americana, Hillary Clinton, que informou ainda que se reunirá com a oposição líbia na próxima semana, quando viajar para o Egito e a Tunísia. "Vamos encontrar a oposição dentro e fora da Líbia para debater o que os EUA e outros países podem fazer", acrescentou (Veja). Leia mais em:
Hillary viajará ao Oriente Médio e se reunirá com opositores líbios
http://exame.abril.com.br/economia/mundo/noticias/hillary-viajara-ao-oriente-medio-e-se-reunira-com-opositores-libios?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter&utm_campaign=Feed%3A+ExameMundo+(EXAME+Mundo)
Clinton to Meet With Libyan Rebels
http://www.nytimes.com/2011/03/11/world/africa/11clinton.html?hp

9. França chancela rebeldes como governo

Enquanto países europeus e os EUA não se entendem sobre uma ação militar contra a Líbia, a França deu um passo à frente na questão diplomática e reconheceu os rebeldes do CNL (Conselho Nacional Líbio) como o governo legítimo do país. A França pretende agora enviar um embaixador a Benghazi, cidade no leste da Líbia que funciona como capital para os opositores. O reconhecimento foi festejado pelos rebeldes, que esperam a mesma ação de outros países. Eles entendem que uma validação diplomática de várias nações dará acesso ao dinheiro do país congelado no exterior e ao lucro da venda de petróleo. Mas o ato francês não foi acompanhado pela União Europeia nem por outro país (Por Vaguinaldo Marinheiro, Folha de S.Paulo). Leia mais em:
Governo da França reconhece conselho rebelde como representante legítimo da Líbia
http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/03/10/governo-da-franca-reconhece-conselho-rebelde-como-representante-legitimo-da-libia-923983630.asp
Sarkozy, Cameron urge EU to draw plans to aid anti-Gadhafi rebellion in Libya
http://www.haaretz.com/news/international/sarkozy-cameron-urge-eu-to-draw-plans-to-aid-anti-gadhafi-rebellion-in-libya-1.348455
Gaddafi ameaça europeus de retirar seu apoio à luta antiterrorista
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2011/03/11/interna_mundo,242084/kadhafi-ameaca-europeus-de-retirar-seu-apoio-a-luta-antiterrorista.shtml

10. “Se Obama não tomar cuidado, vai deixar o poder antes de Gaddafi”

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/se-obama-nao-tomar-cuidado-vai-deixar-o-poder-antes-de-kadafi/

Vai se desenhando o pior cenário para as potências ocidentais que apostaram, de maneira estúpida, na queda rápida de Muammar Gaddafi. Ele está mais forte hoje do que há uma semana. As forças sob o comando do ditador retomaram Zawiyah e o terminal portuário de Ras Lanuf, num ataque por terra, ar e mar. E agora? Parece consenso que ele não pode ficar. Mas como tirá-lo de lá? Uma fala de Mohammed al-Houni, um combatente de 25 anos, publicada pelo New York Times, serve de emblema da situação e permite algumas considerações importantes. “Não há comparação entre as nossas armas e as deles. Eles são treinados. Eles são organizados. Eles têm treinamento na Rússia e não sei onde. Nós não somos um exército. Nós somos o povo. Mesmo que tivéssemos as armas, nós não saberíamos como usá-las” (Por Reinaldo Azevedo, Veja).

11. Diretor de Inteligência Nacional dos EUA diz que regime de Gaddafi deverá prevalecer no conflito

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/03/10/diretor-de-inteligencia-nacional-dos-eua-diz-que-regime-de-kadafi-devera-prevalecer-no-conflito-923987196.asp

O diretor de Inteligência Nacional dos Estados Unidos, James Clapper, disse à Comissão dos Serviços Armados do Senado americano que o Ocidente deve estar preparado para a vitória militar de Gaddafi ou para um impasse prolongado do conflito na Líbia. A informação é da rede de TV Al-jazeera. Por conta da superioridade logística e militar, Clapper reconhece que a queda do ditador líbio é difícil. “Acho que, a longo prazo, o regime atual vai prevalecer” - disse ele. Clapper também afirmou que as unidades militares - equipadas com tanques e artilharia pesada - têm capacidade de se manter e de repor munições (O Globo). Leia mais em:
Muammar Gaddafi tem 'dezenas de bilhões' em dinheiro vivo escondidos em Trípoli, diz inteligência americana
http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/03/10/muamar-kadafi-tem-dezenas-de-bilhoes-em-dinheiro-vivo-escondidos-em-tripoli-diz-inteligencia-americana-923991480.asp

12. “Gaddafi parte para a ofensiva ante paralisia de EUA e aliados”

http://www.valoronline.com.br/impresso/opiniao/98/395586/gadafi-parte-para-a-ofensiva-ante-paralisia-de-eua-e-aliados

Até agora o ditador líbio Muammar Gaddafi está cumprindo à risca a sua promessa de lutar até a última gota de sangue líbio para se manter no poder. Os violentos combates dos últimos dias parecem indicar que o pior cenário prevalecerá - guerra civil sem fim à vista. Boa parte do território está nas mãos das forças rebeldes e Gaddafi mantém a supremacia na capital, Trípoli, e arredores, mas esse desenho das forças é precário e muda rapidamente. O governo de Gaddafi parece militarmente forte o suficiente para impedir a tomada do poder pela oposição, mas ainda incapaz de retomar o controle total do país. Na ausência de uma intervenção externa, problemática sobre vários pontos de vista, o impasse poderá persistir por longo tempo e a ausência do petróleo líbio no mercado mundial não deverá ser breve. Os EUA e o Reino Unido hesitam em intervir no conflito líbio. Os custos de suas aventuras militares no Iraque e Afeganistão ainda estão sendo pesadamente pagos e uma ação direta teria a repulsa massiva do mundo árabe (Valor Econômico – Opinião). Leia mais em:
“Tal pai, tal filho”
http://www.valoronline.com.br/impresso/opiniao/98/395592/tal-pai-tal-filho

13. Rebeldes perdem cidade-chave para forças de Gaddafi

No 23º dia de conflitos na Líbia, em que pesados ataques das forças leais ao ditador Muammar Gaddafi expulsaram os rebeldes do polo petrolífero de Ras Lanuf, a França tornou-se o primeiro país a reconhecer o comando dos insurgentes como governo legítimo líbio. Por sua vez, Hillary Clinton, secretária de Estado dos EUA, prometeu se reunir com representantes dos oposicionistas em visita ao Egito e à Tunísia, na próxima semana, embora até agora americanos e europeus não tenham entrado em acordo sobre ações militares. Na Líbia, porém, o clima entre rebeldes era de desespero, com discussões acaloradas e críticas ao que veem como inação da comunidade internacional (Folha de S.Paulo). Leia mais em:
Gaddafi Forces Bear Down on Strategic Town as Rebels Flee
http://www.nytimes.com/2011/03/11/world/africa/11libya.html?_r=1

14. Hipótese de intervenção de árabes na Líbia ganha força

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110311/not_imp690402,0.php

Uma reunião da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) terminou ontem sem que uma intervenção militar na Líbia fosse aprovada. A ausência de acordo na Otan e na Comunidade Europeia sobre a criação de uma zona de exclusão aérea e a dificuldade em extrair a aprovação do Conselho de Segurança à ação militar fizeram com que ganhasse peso uma solução exclusivamente árabe. A criação de uma zona de exclusão aérea na Líbia pela Liga Árabe também não é questão de consenso entre seus membros. Síria e Argélia resistem. A organização deverá se reunir amanhã, no Cairo, para tratar da proposta (Por Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo).

15. “Corrida contra o tempo na Líbia”

À medida que as forças leais ao coronel Muammar Gaddafi recuperam áreas em mãos dos que se rebelaram contra sua ditadura na Líbia, acende-se o sinal amarelo na comunidade internacional. É preciso agir rapidamente para deter o tirano, que não hesita em matar compatriotas para permanecer no poder. A questão é complicada. Gaddafi leva a vantagem da superioridade aérea. E quanto mais terreno recuperar, menos militares líbios estarão dispostos a desertar ou deixar de cumprir suas ordens, temendo por suas vidas e as de suas famílias (O Globo – Opinião).

16. “Democracias, ditaduras e escrúpulos”

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/886954-democracias-ditaduras-e-escrupulos.shtml

Os acontecimentos dos últimos dias na Líbia deixam claro que a falta absoluta de escrúpulos é a grande vantagem que as ditaduras eventualmente levam sobre as democracias. OK, já sei que você vai dizer que democracias às vezes são hipócritas e às vezes jogam os escrúpulos às favas. É verdade, mas sempre há limites que tiranos como Gaddafi desconhecem completamente --e sempre. Por isso, comete uma matança que, no caso dos ataques a Ras Lanuf e Brega nesta quinta-feira, provocaram "uma mudança decisiva" na guerra civil em curso, conforme a avaliação de Anthony Shadid e David D. Kirkpatrick, ambos cobrindo no front pelo New York Times. Posto de outra forma, dão mais motivos para a pergunta que fiz outro dia, ou seja, "e se Gaddafi ganhar?" (Por Clovis Rossi, Folha.com).

17. “Síria: uma rosa por desabrochar”

http://www.cartacapital.com.br/destaques_carta_capital/siria-uma-rosa-por-desabrochar

Enquanto a Líbia sofre com o ditador Muamar Gadafi, retratado pela imprensa internacional e pelo próprio mundo árabe como um assassino louco, feio e extravagante, a Síria, governada por uma ditadura com pinta de democracia ocidental, vive uma luta interna velada. Sua primeira dama, Asma al Assad, saiu na semana passada na capa da Vogue americana como “uma rosa no deserto”. Diz a revista que a “glamourosa, jovem e muito chic, a mais refrescante e magnética das primeiras damas” é quem dá a cara moderna ao regime do marido Bashar al-Assad. Por outro lado, uma opositora síria ao regime escreve no Facebook que “nenhuma moda pode ajudar uma mulher com um ditador a tiracolo”. O líder sírio não teme que a primavera árabe chegue a seu país. Nesta quinta-feira, Bashar se pronunciou contra a intervenção estrangeira na Líbia e também afirmou que não há chances de que a mobilização no mundo árabe se espalhe para a Síria. Segundo ele, a hierarquia que governa a Síria é “intimamente ligada às crenças do povo” e as massas não estão descontentes com o Estado, como aconteceu na Tunísia, no Egito e agora na Líbia (Por Viviane Vaz, Carta Capital). Leia mais em:
Shalom predicts collapse of Iranian, Syrian regimes
http://www.jpost.com/DiplomacyAndPolitics/Article.aspx?id=211708

18. Médicos discutem novo modelo de formação, aliado à tecnologia

http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/886729-medicos-discutem-novo-modelo-de-formacao-aliado-a-tecnologia.shtml

O desenvolvimento de novas tecnologias  por celular está facilitando o acesso de pacientes a médicos especialistas. "Vai chegar ao ponto de o agente de saúde tirar uma foto do olho do paciente pelo celular, a imagem chegar ao hospital e o profissional já saber se a pessoa vai precisar ou não de um laser para corrigir o problema", diz Rubens Belfort Júnior. Mas, para o oftalmologista Claudio Lottenberg, presidente do Hospital Albert Einstein e da Conib (Confederação Israelita do Brasil), apesar de promissoras, especialmente em regiões remotas, as novas tecnologias não devem substituir o entendimento do paciente como um todo. "Você vai ter que continuar examinando o paciente. Pode ser que uma alteração ocular vista na tela do iPad seja uma hemorragia e não uma degeneração, por exemplo”, diz ele (Folha de S.Paulo – edição de 10/03).

19. “Scliar se foi numa madrugada”

http://m.estadao.com.br/noticias/impresso,mobile,690295.htm

Eles partem. Vão embora confirmando a sensação de que a vida é uma coleção de perdas. Está certo que permanecem, pois deixam seus livros, portanto estaremos com eles até o dia em que também iremos. Mas gostamos deles nesta vida. Dos encontros, conversas, telefonemas, e-mails, viagens, jantares, visitas, feiras de livros, com suas graças e manias, ambições e sonhos, sucessos e fracassos, amores e desilusões, brigas e dissensões.  Escritores de minha geração, ou mais velhos, ou mais novos, todos próximos, a quem nos ligamos pela amizade e pelos livros. Partem. Saíram, muitos nem tiveram tempo de dizer adeus, até já, até breve. Então, chegou a vez de Moacyr Scliar, o gaúcho. Poucas vezes vi a morte de um escritor repercutir tanto, tão intensamente. Já se passaram duas semanas e continuo a ler na imprensa de todo o Brasil artigos dizendo adeus. Raras vezes vi um carinho e uma tristeza tão grandes em relação a um autor, num meio em que há (veladamente) exclusões, ciúme, alguma inveja, fofocas. Parece loucura, mas nunca vi ninguém alfinetar Moacyr. E olhem que foi autor sempre elogiado pela crítica, membro da ABL, para a qual foi eleito por unanimidade, viajando mundo, traduzido, vendido, dominando auditórios, um médico culto e informado. Meu Deus, que prato! (Por Ignácio de Loyola Brandão, O Estado de S.Paulo).

Leia mais em:
(visite nosso novo site: http://www.conib.org.br/ )

ElBaradei promete restaurar vínculos com Irã se presidir o Egito
http://www.prensa-latina.cu/index.php?option=com_content&task=view&id=270603&Itemid=1

A transition for Arab economies
http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2011/03/09/AR2011030905164.html?wpisrc=nl_politics

Arab Voices, Heard at Last
http://www.nytimes.com/2011/03/11/opinion/l11brooks.html?ref=opinion

Obama nomeia novo embaixador em Israel
http://tv2.rtp.pt/noticias/?t=Obama-nomeia-novo-embaixador-em-Israel.rtp&article=423282&visual=3&layout=10&tm=7

“We won’t miss you if you boycott 2012 Olympics, British PM tells Iranians
http://www.worldjewishcongress.org/en/news/10048

Fotos revelam intimidade da vida de Eva Braun, mulher de Hitler
http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/03/10/fotos-revelam-intimidade-da-vida-de-eva-braun-mulher-de-hitler-923983885.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Gostamos muito de sua visita. Obrigado pela sua mensagem!